Energia solar residencial: Por que não?

Com tantos problemas ocorrendo com relação aos recursos naturais, nós  da brechas para buscar novos caminhos, tais sendo mais sustentáveis e compatíveis a nossa realidade. Caminhos esses que nós ajuda a reter custos, como os custos com o setor elétrico. A falta de chuvas e a energia solar apresenta um futuro bastante promissor. Um dos usos mais comuns da energia solar é o aquecimento de água, mas existem novas formas de se utilizar a energia do sol.

Existem muitas tecnologias sendo aplicadas no Brasil, mas a mais comum e mais acessível é a energia solar fotovoltaica. Com a energia solar fotovoltaica, podemos converter a luz do sol em eletricidade para utilizar em eletrodomésticos, no comércio, indústria, etc.

Estas duas utilizações (aquecimento e geração de eletricidade) trazem um custo-benefício cada vez mais atrativo. O que tornou os equipamentos mais acessíveis nos últimos anos. “Ela nos auxilia a diversificar a matriz elétrica do país. Hoje estamos muito dependentes das hidrelétricas”, afirma o Dr. Rodrigo Lopes Sauaia, co-fundador e diretor executivo da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

Além de servir como alternativa, a energia solar fotovoltaica não polui, desenvolve um setor produtivo novo, traz benefícios ambientais, econômicos e sociais ao país. A instalação de sistemas fotovoltaicos também reduz o impacto ambiental e pode inclusive evitar o uso de um terreno novo, pois pode ser instalada em telhados. “Um estudo recente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética) demonstrou que se cobríssemos os telhados residenciais brasileiros já existentes com sistemas fotovoltaicos, poderíamos gerar mais de duas vezes todo o consumo residencial de energia do nosso país”, esclarece.

http://www.folkstore.com.br

Mesmo que essas tecnologias se renovem a cada ano, conforme estudos em desenvolvimento, já podemos  notar  o quanto nos agrega ao bolso a implantação deste sistema. Precisamos nos renovar, abrir a cabeça e fazer os cálculos de viabilidade, em quanto tempo teremos retorno ao implantar.

Deixe uma resposta