Animais selvagens podem morrer poucos meses após “selfies”, revela estudo

Animais vulneráveis da Amazônia estão sob maus-tratos e sendo submetidos a tratamentos inapropriados por causa da “moda das selfies”. A moda agora também chegou no mundo animal. Olha que bacana! Imagino que os mesmos la na sua vida selvagem e tranquila, não conseguiria viver sem os tais “selfies”. Mas o ser humano como é muito esperto resolveu levar essa experiência magnifica para os animais selvagens. Mas não é só isso que a pesquisa realizada pela organização “World Animal Protection” apontou, também há desidratação, ferimentos e até a morte.

O chamado “comércio de selfies” tornou-se atração para turistas do mundo todo, resultando um  crescimento de 249% do número de fotos com animais selvagens que são compartilhadas no Instagram de 2014 até o momento, afirma a pesquisa.

Mas por trás dos sorrisos nas imagens, estão escondidas condições cruéis aos bichos. Estes animais são retirados do seu habitat natural para que o turista possa ser fotografado, mais muitas das vezes estes animais não possuem tratamentos adequados tais como os citados na pesquisa:

– Preguiças capturadas da natureza, amarradas a árvores com corda, não sobrevivendo por mais de seis meses;

http://www.folkstore.com.br

– Pássaros, como tucanos, com tumores graves nos pés;

– Anacondas verdes feridas e desidratadas;

– Jacarés reprimidos com tiras de borracha em torno de suas mandíbulas

– Jaguatiricas mantidas em uma pequena gaiola estéril;

– Peixe-boi trancado em um pequeno tanque no pátio de um hotel local;

– Um tamanduá gigante roubado e espancado por seu dono

Acreditem, nos somos capazes de fazer essa crueldade! Não digo que o único erro seja do criador dos animais, mas de todos nós que em algum momento do seu dia, viu uma foto dessas em suas redes sociais e achou lindo e curtiu. Sim você, eu e mais um milhão de pessoas também temos culpa. Somos culpados por seguir milhões de paginas com imagens bonitas e não procurar saber a respeito da agência, pessoa, grupo seja lá quem for o proprietário da pagina ou blog.

De acordo com o The Guardian , mais de 40% das fotos tiradas para as redes sociais com a fauna selvagem são classificadas como “selfies ruins”, são fotos que apresentam alguma pessoa abraçando, segurando ou interagindo inadequadamente com um bicho. Existem parques em alguns países com animais exóticos em que se aplica remédio no animal para que ele durma. Um absurdo!

A  World Animal Protection foi até  Manaus , no Brasil, e para Porto Alegria, no Peru, para estabelecer a extensão do problema. Assim, foram encontradas evidências de agentes turísticos irresponsáveis ​​e de crueldade sendo infligida aos animais utilizados para fotos de turistas que pagam pela experiência. Muito bacaninha a experiência paga, mas são 20% de espécies ameaçadas de extinção, e mais de 60% estão protegidas pelo direito internacional sofrendo maus tratos. Volto a repetir um absurdo!

 

A pesquisa da instituição ainda descobriu que mais de metade das 249 atrações encontradas on-line ofereceram o contato direto com animais selvagens aos turistas internacionais como já citei a cima. Mas o animal mais prejudicado de todos é as preguiças pois é animal particularmente vulnerável à interação humana e  o que me deixa mais indignada é que não sobrevive por mais de seis meses nessas condições.

Além de apelar aos governos para que façam cumprir as leis existentes e garantir que as empresas de viagens e os agentes turísticos as respeitem, a instituição também está lançando um “Código da Selfie” para ensinar aos turistas como tirar as fotos sem contribuir com a crueldade. Agora precisamos então saber usa-lo e cobrar a parte dos governantes.

Mais informações segue abaixo a fonte.

Tchau Obrigada!

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/2017-10-04/selfies-animais-selvagens.html

Deixe uma resposta